17 agosto 2008

Caminhos

Há caminhos que são nossos... só nossos... não por herança, escritura ou outro documento legal. São nossos porque deles nos apropriamos... Porque por ali passa o nosso corpo, a nossa alma vezes sem conta.
São nossos quando, convictos, julgamos que por lá não anda, nunca, mais ninguém.

Eu encontrei, há muito, um desses caminhos...um espaço demasiado mágico... lugar do meu equilibrio. Eco da minha alma.

Um caminho estreito que rasga um pedaço da serra mais querida do meu viver. Ladeado por pedras imponentes, giestas, silvas... amoras silvestres. Perfumado de eucalipto e pinheiro. Escondido na paisagem, engolido por uma vegetação cada vez maior. Comos se quisesse manter-se assim, exclusivo para mim.

Reina o silêncio nesse meu caminho, contrariado às vezes pelo vento que faz dançar as copas das árvores e alguns acordes de uma música que conheço bem e que toca de novo ao meu ouvido.

Percorro diariamente este lugar secreto, como se me fosse ali reencontrar.
Páro a bicicleta, caminho, descanso nas rochas gigantescas, verdadeiras ousadias de uma Natureza que ali foi generosa... Penso com mais clareza... em ti, em mim, em tudo, tudo, tudo!
Posso chorar, gritar, rir descontroladamente. Dançar e cantar...

Partilhei o meu caminho contigo. Transformei-o no nosso espaço exclusivo.
Refúgio de tempestades, testemunho de bonanças vividas ao pôr do sol.
Deixei-te percorrer comigo esse rasgo de terra sinuoso, longo e envergonhado no meio da serra.
E também tu te apaixonáste pela paisagem, pelos aromas, pelas cores e formas. Também tu encontráste ali o teu equilibrio... ao meu lado, nessa caminhada de todos os dias.
Hoje o meu caminho é teu também. É nosso, como um bem que nos pertence... Um segredo bem guardado.

O caminho há-de sentir a nossa falta durante uma ausência demasiado longa.
Há-de chorar a nossa companhia aos finais de tarde. O som das minhas canções, o barulho dos teus sorrisos... a nossa presença sentados a contemplar o fim do dia.

Para o ano havemos de voltar... o caminho estará à nossa espera, escondido, discreto, silencioso... resistindo a outros intrusos.

2 comentários:

Helena disse...

É pena que os caminhos não te tenha levado outras direcções... mas como diz o ditado "Cada um sabe de si.. e Deus lá saberá de todos!"...ou não!!!
Num futuro próximo, talvez outros caminhos se cruzem, ou não!!!

gicas disse...

volta amiga...

sodadi
:(
....

a Pimps também tem saudades vossas
beju

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Macys Printable Coupons